Perguntas Frequentes

Candidatos

Quando será o próximo Processo Seletivo do Programa Bolsa Universidade?

A seleção de novos bolsistas ocorre anualmente, sempre no segundo semestre.

Quais as faculdades conveniadas com Programa Bolsa Universidade?

– Centro Universitário do Norte (Uninorte);
– Universidade Nilton Lins;
– Escola Superior Batista do Amazonas (Esbam);
– Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi);
– Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro);
– Faculdade Boas Novas (FBN);
– Faculdade La Salle;
– Faculdade do Amazonas (IAES);
– Ies Materdei;
– Faculdade Martha Falcão DeVry;
– Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB) – unidades Centro e Leste.

Quais são os critérios para concorrer a um benefício?

– Ser estudante brasileiro nato ou naturalizado;
– Possuir renda per capita familiar de até um e meio salário mínimo;
– Ser residente na cidade de Manaus;
– Estar regularmente matriculado ou apto a se matricular (ter sido aprovado em vestibular) em Instituição Privada de Ensino Superior participante do Programa;
– Não possuir diploma de curso superior e não estar matriculado em Faculdade Pública;
– Firmar compromisso de participar das atividades, programas e projetos executados pela Prefeitura Municipal de Manaus, como contrapartida ao benefício recebido;
– Não possuir outro benefício (por exemplo, PROUNI), o estudante deverá se desvincular de tal benefício caso queira participar do Programa Bolsa Universidade.

Não fiz o vestibular, posso concorrer?

Sim. Mas é necessário, posteriormente, prestar o vestibular para poder efetivar matrícula da universidade desejada em caso de aprovação no programa.

Concluí o Ensino Médio em outro Estado. Posso participar?

Sim. É possível participar do Programa Bolsa Universidade, independente do Estado da Federação que tenha concluído o Ensino Médio, desde que tenha residência fixa na cidade de Manaus e atenda os demais requisitos estabelecidos em edital.

Concluí o Ensino Médio no sistema supletivo. Posso concorrer a uma bolsa de estudo?

Sim, desde que sejam atendidos todos os requisitos estabelecidos em Edital.

Não efetuei a matrícula na Faculdade. Posso concorrer?

Sim, desde que tenha sido aprovado no vestibular da Faculdade pretendida no período letivo atual.

Inscrição

Como faço para me inscrever?

Você deve acessar o Portal do Candidato, fazer o cadastro e realizar a inscrição informando os dados solicitados. É importante que o candidato utilize, para o cadastro e a inscrição, seus próprios dados (principalmente e-mail) e não de terceiros, para não haver problemas na comunicação entre o candidato e o programa.

A inscrição pode ser feita na Espi?

Não. Todo o processo de inscrição é feito exclusivamente pela Internet, no Portal do Candidato.

Quanto tempo dura o processo de inscrição?

Em média, o processo de inscrição permanece no ar por até dez dias. Acesse o edital vigente para saber os detalhes específicos do processo do qual deseja participar.

E depois de fazer a inscrição, o que tenho que fazer?

Confirmada sua inscrição, você já é um candidato. Basta aguardar o resultado das listas de classificação.

Onde posso saber se fui classificado ou não?

Basta acessar o Portal do Candidato e verificar o status de sua inscrição.

Fui classificado. E agora?

Se você for classificado, confira no edital os prazos determinados para fazer a entrega de documentos comprobatórios e, assim, assegurar sua bolsa.

Sou baixa renda, mas não fui classificado. Por quê?

O sistema classifica os candidatos de acordo com a renda informada no ato da inscrição, de forma automática. Se você, embora seja de baixa renda, não foi contemplado, isso acontece porque havia outras pessoas com rendas ainda mais baixas que a sua concorrendo para o mesmo curso. E a entrega de documentos serve para que o candidato comprove as informações – incluindo a renda informada.

Fiquei como ‘reserva’. O que é isso?

Se você ficou nessa situação, é porque o número de inscritos no programa superou o de bolsas. E os reservistas são aqueles que, embora estejam dentro dos critérios para participar do programa, não foram contemplados de imediato por falta de bolsas no curso de sua opção.

Mas se fiquei na reserva, ainda tenho chances de ser contemplado?

Sim. Quando o sistema coloca o candidato como reserva na primeira chamada, ele deve aguardar uma eventual segunda chamada – e assim sucessivamente.

Posso recorrer do resultado?

Sim. Como todo certame público, a legislação prevê a fase de recursos, que leva dois dias. Acesse o edital para saber como proceder, neste caso. O departamento jurídico da Espi vai analisar o recurso e aceitar ou não, dependendo da situação.

Bolsistas

Qual o tempo de duração da minha bolsa?

Sua bolsa corresponde ao tempo de duração do curso. Esse prazo não será prorrogado, exceto nos casos de gravidez de risco, doenças graves e serviço militar obrigatório, previstos em decreto.

E se eu ficar sem recursos para pagar minha mensalidade?

Sugerimos que você solicite sua suspensão, até que consiga reestabelecer suas condições financeiras. Essa suspensão é de, no máximo um ano. Além disso, você deve comparecer à sede do programa para solicitar a reativação do benefício em até 30 dias antes do início do período letivo. A suspensão fará com que, ao final do curso, você arque financeiramente com um ou dois períodos sem o auxílio da bolsa.

Tenho que realizar meu recadastramento apenas uma vez?

Todas as vezes que a Espi solicitar o recadastramento, você deverá fazê-lo. E qualquer alteração importante como endereço, telefone e renda, você poderá fazer a qualquer momento, caso contrário poderá ser desligado do programa.

Caso eu precise trancar minha matrícula, o que devo fazer?

Você deve solicitar, imediatamente, a suspensão da bolsa na sede do programa, no setor de atendimento, e trancar sua matrícula na faculdade. Fique atento, pois a suspensão da bolsa somente poderá ser solicitada no primeiro bimestre de cada período letivo. Apenas em casos excepcionais, previstos na legislação, serão aceitos pedidos de suspensão fora desse prazo.

Estou com benefício suspenso. O que devo fazer?

Você deve comparecer à sede do programa para solicitar a reativação do benefício, em até 30 dias antes do início do período letivo. Após um ano de suspensão, o benefício será reativado automaticamente e você deve retomar suas atividades acadêmicas.

Posso mudar de curso ou de turno?

Pode. Mas você precisa, inicialmente, verificar junto à instituição a disponibilidade de vagas no novo curso ou turno desejado. Em caso positivo, você deverá procurar o setor de atendimento do Bolsa Universidade, solicitar a mudança de curso ou turno e aguardar o processo de análise. Mesmo que haja vagas no novo curso ou turno desejado, caberá à Espi a decisão sobre a mudança.

A Espi faz alguma fiscalização das bolsas?

Sim, nossas assistentes sociais realizam periodicamente visitas aos nossos bolsistas para verificar o perfil econômico, social e sua adequação à bolsa que o aluno possui. Além disso, cabe também a você bolsista denunciar fraudes ou situações em que alguém seja detentor de bolsa sem se adequar ao perfil do programa.

Se minha renda familiar aumentar, eu perco a bolsa?

Perderá apenas se ela ultrapassar o valor de dois salários mínimos e meio por pessoa da família. Por exemplo, se sua família é composta por três pessoas e o rendimento total é R$ 4 mil, a renda per capita é de R$ 1.333,33. Ou seja, divide-se o rendimento total da família pelo número de residentes na sua casa. Portanto, abaixo dos dois salários mínimos e meio. Neste caso, você não perderia o benefício.

Onde recebo comunicados e mensagens do Programa Bolsa Universidade?

Você deve acessar diariamente o e-mail informado no seu cadastro para verificar se há algum comunicado ou mensagem, por isso deve manter seu e-mail atualizado. Além disso, pode consultar periodicamente o Portal do Bolsista.

Em que casos posso ser desligado?

Se você não efetivar sua matrícula tanto no primeiro semestre como nos semestres posteriores;
Se reprovar em acima de 50% das disciplinas em um semestre;
Se mudar de IES ou curso sem autorização da Espi;
Se não participar das atividades de contrapartida;
Se deixar de prestar informações solicitadas pelo programa;
Se possuir renda familiar acima de dois salários mínimos e meio per capita no decorrer da vigência da bolsa;
Se prestar informações falsas;
Se desistir do curso;
Se solicitar formalmente o desligamento.

Seguro-desemprego conta como renda familiar?

Não, mas deve ser incluída a observação no seu cadastro de informações.

Contrapartida

E a contrapartida? Sou obrigado a fazer?

Sim, qualquer bolsista pode ser convocado para participar das atividades do Programa (palestras e apoio a outros órgãos municipais). O não comparecimento às atividades ou a falta de resposta às convocações poderá levar ao desligamento do programa.

Qual a carga horária que eu deverei cumprir como forma de contrapartida?

A carga horária será compatível de acordo com o benefício concedido:

– Bolsista integral: carga horária de 150 por semestre;
– Bolsista 75% de desconto: carga horária de 120 por semestre;
– Bolsista 50% de desconto: carga horária de 90 horas por semestre.

Se eu não tiver como cumprir a contrapartida, o que devo fazer?

O bolsista que por qualquer eventualidade não puder realizar a contrapartida referente ao benefício, deve requerer dispensa junto ao Programa Bolsa Universidade no período de entrega de documentação especificado na convocação, apresentando, obrigatoriamente, a comprovação do motivo através de documentos.